Materialismo

From humanipedia
Jump to: navigation, search

(do lat. Materiam: material). Doutrina filosófica que considera o material como a única realidade constitutiva do mundo real. Segundo este ponto de vista, a matéria, nas suas formas superiores (matéria orgânica,) é capaz de mudar e se desenvolver. Portanto, a sensação, a consciência e as ideias não são mais que expressões da matéria mais organizada. A existência material é o primário, enquanto a consciência é o secundário.

A divisão antagónica entre “materialistas” e “idealistas” (Idealismo) foi aceite devido à sua simplicidade, pela modernidade. Atualmente, com as novas conceções do ser humano e da ciência, estas posturas estão submetidas a uma forte revisão.

Quanto às ciências humanas e sociais, muitos materialistas consideram o papel orientador dos fatores económicos no desenvolvimento da sociedade, os quais determinam os interesses e possibilidades dos seres humanos, organizam a vida e os fatos. Para estes expositores, os conceitos materialistas do Estado e da propriedade, da guerra e do progresso das nações, das classes e luta de classes, ajudam a encontrar as razões das oposições e dos conflitos, oferecendo orientações na prática política. Ao mesmo tempo, o materialismo vulgar toma por absoluto o poderio dos fatores económicos, partindo do princípio de determinismo e condição causal de todos os fenómenos.

O termo materialismo começou a ser usado no século XVII como doutrina física sobre a matéria e desde o século XVIII como antónimo do idealismo filosófico.

Na filosofia grega antiga, pelo conceito de matéria prima entendia-se a substância que não podia ser dividida até ao infinito. Na Idade Média, o tomismo via na matéria o princípio potencial e passivo que, em união com a forma substancial, constitui a essência de todo corpo, permanecendo nas transmutações substanciais sob cada uma das formas que se sucedem. Pela matéria segunda se considerava o composto substancial de matéria prima e forma, ou seja, sujeito apto para receber uma determinação acidental. No tempo moderno, até a aparição da teoria da relatividade de Einstein, a matéria era concebida como tudo aquilo que obedecia às leis de gravidade. Na física moderna os conceitos de matéria e energia aproximam-se e às vezes identificam-se.

Na filosofia da história, a conceção do materialismo aplica-se às doutrinas que interpretam o processo histórico reduzindo-o às causas materiais e consideram que a estrutura social é determinada, antes que nada, pelas necessidades e leis económicas.