Grupo Social

From humanipedia
Jump to navigation Jump to search

Comunidade integrada por vínculos mais ou menos estreitos de profissão, interesses, trabalho, religião, etc. Dentro do grupo social forma-se espontaneamente um sistema determinado de papéis e estatutos, destacam-se os líderes, formam-se a disciplina e a ideologia grupais.

Na comunidade criminal, o grupo aglutina-se pela participação conjunta em atos delituosos e atua como um bando armada, como grupo de pessoas vinculadas por compromissos e por necessidades mútuas, mas também por fatores psicológicos comuns, como o medo, o ódio, o desejo de vingança, etc.

No mundo religioso, destacam-se os grupos na forma de congregações eclesiásticas e ordens monásticas.

Atualmente em todo o mundo atuam os grupos juvenis, femininos, os agrupamentos de moradores, etc. Isto demonstra que o grupo social pode ser considerado como uma forma mais estável e simples de auto-organização, de manifestação do sentimento de solidariedade e ajuda mutúa.

O grupo é o nível primário e básico da socialização da personalidade na sociedade atomizada e desumanizada. Os sociólogos distinguem diferentes tipos de grupos sociais: 1. Grandes (tribo, classe, nação); 2. Pequenos (família, comunidade de vizinhos, grupos de amigos e outros grupos primários); 3. Nominais (aula na escola, público no teatro); Institucionalizados (brigada de operários, ordem religiosa, fração do parlamento, corporação de banqueiros, pelotão de soldados); 5. Referenciais (trata-se da determinação do caráter e lugar do indivíduo na sociedade e do seu sistema de valores utilizando, por exemplo, a pesquisa de um grupo de operários. Isto permite revelar as características de uma profissão ou da fábrica, sem perguntar a todos os operários desta profissão ou fábrica).

Todos os sistemas totalitários e corporativos "absolutizam" a força da psicologia e disciplina grupal que anulam o intelecto e a intenção pessoal. Assim, o fascismo italiano e o alemão começaram a sua atividade com a criação de pequenos grupos paramilitares de jovens.

O grupo pode desempenhar um papel tanto positivo quanto negativo. Num caso movimenta as pessoas, enaltece o seu espírito, humaniza a sua consciência e fortalece a sua energia (sociedades democráticas de base, movimentos juvenis e femininos, clubes humanistas, etc.) Nos outros casos, o grupo amassa a personalidade (grupos mafiosos, movimentos fascistas, racistas, fundamentalistas). O problema consiste em canalizar estes grupoes em favor dos interesses do ser humano como personalidade livre e razoável, apelando aos seus altos sentimentos, em lugar de explorar os comportamentos irracionais e destrutivos.